QUEM VEM COMIGO

quarta-feira, 1 de abril de 2009

SEMPRE É SOLITÁRIO O SOFRIMENTO

Por onde eu andava
enquanto tu sofrias
as dores
e o frio
da alma vazia
de esperança e sonhos?

Por onde eu andava
enquanto te agitavas
em sonhos pesadelos
de horrores e de medos?

Por onde eu andava
enquanto o pranto amargo
escorria tuas faces
desenhando vincos
refletindo um mundo
de monstros noturnos?

O meu sorriso mudo
tatuado na cara
contava
que eu andava
longe
mesmo a teu lado
mesmo ombro a ombro

Todo o ser é só
ilha isolada
quando o desespero
encontra a alma aberta
e entra porta a dentro
e faz a sua morada
no centro

dum coração deserto

(Elza Fraga)

2 comentários:

  1. poeta, se pudéssemos socializar a dor!!, não é?

    belíssimo poema =)

    beijokas

    ResponderExcluir

Um doce pelo seu pensamento